topo_cabecalho
Medicina Veterinária da UFCG tem o melhor desempenho no Norte-Nordeste

O curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), campus Patos, conseguiu, pela segunda vez consecutiva, obter o melhor desempenho do Norte e Nordeste no Exame de Desempenho dos Estudantes (Enade), referente ao exercício 2007. Além da UFCG, apenas a Universidade Federal do Piauí (UFPI) obteve o mesmo resultado, só que nesta segunda avaliação.

 

Para o professor Carlos Peña, do Centro de Saúde e Tecnologia Rural (CSTR), o desempenho do curso é um reflexo do esforço dos professores e diretores, que têm atuado de forma constante para melhorar cada vez mais o ensino na área agrária, sendo Medicina Veterinária uma das graduações mais destacadas do centro.

 

Hoje, o quadro de docentes é formado por 80% de doutores e 20% de mestres. “A qualificação e a formação dos professores são dois pontos fundamentais para manter o curso com o conceito alto diante do MEC”, declara a coordenadora da Unidade Acadêmica de Medicina Veterinária, Verônica Medeiros Trindade. O curso, criado em 1980, já colocou no mercado de trabalho mais de 1.300 profissionais, que atuam em toda a Paraíba e em outros estados brasileiros.

 

Carlos Peña lembra que as ações do curso não têm sido voltadas exclusivamente para a vida acadêmica, mas também para a sociedade de uma forma geral, uma vez que a graduação desenvolve atividades direcionadas ao enfrentamento de problemas na região, a exemplo da seca e das dificuldades inerentes ao semi-árido. “O apoio de parceiros, como a Emepa, o Sebrae-PB, a Emater, as secretarias de Agricultura do Estado e do município de Patos, além do Ministério da Agricultura, têm sido de fundamental importância para todo nosso crescimento acadêmico”, comentou.

 

Mestrado

 

Além de receber o conceito de melhor desempenho no Norte-Nordeste, como graduação, o curso de mestrado em Medicina Veterinária também conseguiu o conceito 4. De acordo com a coordenadora de Pós-Graduação do curso, Rosane Trindade Medeiros, a nota foi dada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), na primeira avaliação do MEC, em 2007. Além de Medicina Veterinária, também são oferecidos os mestrados em Zootecnia e Ciências Florestais.

 

Patos terá o primeiro doutorado na área agrária do Semi-árido nordestino

 

A Capes aprovou recentemente a criação do doutorado em Medicina Veterinária de Ruminantes e Eqüídeos do CSTR. O doutorado é o primeiro a ser autorizado pelo MEC para a instituição e já recebeu conceito 4 da comissão que avaliou o projeto em Brasília. Também será o primeiro a ser desenvolvido na região do Semi-árido nordestino.

 

Para o diretor do centro, Paulo Bastos, o doutorado é uma grande conquista para a Unidade Acadêmica de Medicina Veterinária, para o CSTR e toda a UFCG.  “Todas as conquistas que o campus vem registrando nos últimos anos são atribuídas também à administração central da Universidade, a exemplo do apoio do reitor Thompson Mariz, que não tem medido esforços para manter em evidência o processo de expansão, junto aos organismos competentes em Brasília”, comenta.

 

Segundo a Coordenação de Pós-Graduação de Medicina Veterinária, o curso de doutorado deve ter início em março de 2009. “A divulgação do edital, inscrições e o processo seletivo devem ser realizados até o final deste ano”, frisa a professora Rosane Trindade. Número de vagas, linhas de pesquisas  e outros detalhes ainda estão sendo estudados pela comissão responsável.

 

“Ter um curso com essa estrutura e importância aprovado pelo MEC e com conceito alto, não é apenas uma conquista, é um presente para todos os que fazem parte da Unidade Acadêmica. Tudo é reflexo do trabalho em conjunto e dos esforços contínuos”, finalizou.   

 

(Rosângela Araújo – Ascom/UFCG)