Nota de Lembranças

 

Wilker,

Gosto muito de escrever. Mas esse texto saiu com muito sacrifício, com a angústia de quem é pai de um jovem tão jovem quanto você. Escrever sobre sua partida desta terra é um ato de dor, mas um gesto necessário. Um gesto que nos faz lembrar seus sorrisos pelos corredores do PPGH e do curso de História, sua bravura e desempenho durante a entrevista na seleção do mestrado, seu boné quase sempre presente em seu corpo, seu tema de pesquisa cativante. Você foi, vaqueiro de Gado Bravo, cavalgar em outros mundos, sorrir para outros seres. Você foi, honrado aluno, divulgar sua inteligência e respeito em outros espaços. E porque foste, nos deixastes coberto de saudades, de lembranças, de vazios. Você deixou seus projetos inacabados, sua dissertação por escrever, seu mestrado para concluir, suas vaqueiras para entrevistas. Você deixou seus amores, suas paixões, suas amizades. Mas deixou, mesmo sendo jovem, um legado de quem soube honrar e respeitar os professores, os amigos, os parentes. E nós, que formamos o PPGH da UFCG, sentimos muito sua partida precoce. Mas sentir é humano e queremos continuar humanos.

Vai vaqueiro, vai peão...

 

 

Observação: a utilização de palavras do universo da vaquejada nesta nota é, também, uma homenagem a Wilker, já que o mesmo desenvolvia sua pesquisa no mestrado, sobre a vaquejada.