Up

Edital Mestrado 2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

 CENTRO DE HUMANIDADES

 UNIDADE ACADÊMICA DE HISTÓRIA

 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA

 

EDITAL DE SELEÇÃO 2016

(Retificado nos quesitos relacionados à banca examinadora da Linha II, à bibliografia da linha II e aos documentos para inscrição)

 

OBJETIVOS DO PROGRAMA
O Programa de Pós-Graduação em História – Área de Concentração em Cultura e Sociedade, da Universidade Federal de Campina Grande, tem como objetivo a formação, no âmbito das ciências humanas e sociais, em nível de Mestrado, de recursos humanos capacitados para o desenvolvimento de pesquisas na área de história, cultura e sociedade, bem como o exercício do magistério em cursos de graduação e pós-graduação.
LINHAS DE PESQUISA
1. Cultura e Cidades. Busca aproximar as pesquisas e trabalhos que tenham como centro de seus interesses a cidade. Neste sentido, três aspectos dos estudos sobre a cidade aproximam os seus componentes: as mudanças culturais, as tramas e práticas político-econômicas e as relações e conflitos sociais. Nas pesquisas e trabalhos de pós-graduação, os participantes investigam a cidade a partir de diferentes aspectos, tais como: o cotidiano; o advento de equipamentos modernos e as mudanças de hábitos e costumes por eles provocados; as reformas urbanas e as tramas político-econômicas que as acompanham.
2. Cultura, Poder e Identidades. Esta linha de pesquisa reúne pesquisadores preocupados com a problemática cultural em sua interface com as relações de poder e a questão das identidades a partir de aspectos como: a as culturas do povo para além da dicotomia erudito/popular; as práticas e representações recortadas no cotidiano do mundo social; estudo dos significados simbólicos inscritos nas ações e no pensamento dos homens e mulheres. A linha estuda e pesquisa, também, temáticas culturais na perspectiva teórica dos estudos culturais; estudo cultural das tramas do político; os corpos urbano e humano e sua interface com os discursos médicos; história das práticas educativas e das sensibilidades. Gênero e geração.
3. História Cultural das Práticas Educativas. A linha de pesquisa se organiza em torno de investigações sobre a história cultural das práticas educativas e das sociabilidades, com o objetivo de pesquisar campos temáticos como: cultura escolar e escolarização, práticas e discursos profissionais, bem como espaços/lugares de produção de sujeitos, a exemplo dos hospitais, instituições educativas, seminários teológicos, institutos de pesquisa, organizações voluntárias e filantrópicas, associações profissionais e sociedades científicas, instituições de cuidado e disciplina (orfanatos, asilos, clubes e centros de convivência), dentre outros. Enquanto campo multidisciplinar, a história dos espaços educativos envolve o estudo de diferentes campos temáticos, dentre os quais: história cultural das instituições escolares e religiosas; história das culturas médicas de prevenção, combate à doença e promoção da saúde; história das reformas sanitárias, do controle ambiental e da erradicação de riscos; história das campanhas educativas e das práticas de higienização; história dos profissionais e das profissões; história do corpo e suas tecnologias; história e narrativas em memoriais, autobiografias, fotobiografias e biografias, dentre outras.
PÚBLICO ALVO
Graduados em História ou áreas afins. A homologação da inscrição dos graduados em outras áreas do conhecimento, que não História, ficará a critério do Colegiado do Programa.
VAGAS OFERECIDAS: 32 (trinta e duas)
Vagas para Linha I: 12 vagas
Vagas para Linha II: 10 vagas
Vagas para a Linha III: 10 vagas
Obs.: Serão destinadas três (03) vagas, sendo uma por linha de pesquisa, para professores ou funcionários técnico-administrativos da UFCG.
BANCAS EXAMINADORAS DO PROCESSO SELETIVO 2016
Linha I
Dra. Keila Queiroz e Silva (Presidente)
Dr. Luciano Mendonça de Lima
Dr. Xisto Serafim de Santana de Souza Júnior
Suplentes Linha I:
José Benjamim Montenegro
Gervácio Batista Aranha
Severino Cabral Filho
Linha II (Retificada a banca: substituição da professora Juciene Ricarte por Marinalva Vilar como membros efetivos e substituição de Marinalva Vilar por Elizabeth Christina de A. Lima como suplente)
Dra. Marinalva Vilar de Lima (Presidente)
Dr. Edson Hely da Silva
Dr. José Luciano Queiroz 
Suplentes Linha II:
Dra. Elizabeth Christina de Andrade Lima       
Linha III
Dra. Regina Coelli Gomes Nascimento (Presidente)
Dr. Matheus da Cruz e Zicca
Dr. Iranilson Buriti de Oliveira
Suplentes Linha III
Dra. Eronides Câmara Araújo
Dra. Maria do Socorro Queiroga
 
PROCESSO SELETIVO
O processo seletivo para a turma 2016 do PPGH será realizado por três bancas, constituídas por professores das linhas I, II e III do PPGH, respectivamente. Constará de três etapas: prova escrita, análise de projeto de pesquisa e entrevista, todas de caráter eliminatório. A nota mínima para aprovação, em cada etapa, é 7,0 (sete). A análise do currículo só será considerada como critério de desempate.
 
DOCUMENTOS PARA A INSCRIÇÃO
 
Só serão aceitas as inscrições com documentação comprobatória digitalizada em pdf e enviada em ARQUIVO ÚNICO, submetidas exclusivamente através do email de cada linha do PPGH. O candidato deve anexar PDF de cada item, com frente e verso, em arquivo único, da seguinte documentação:
 
1.      Formulário de inscrição (modelo próprio, a ser baixado através deste link, devidamente preenchido;
2.      Uma fotografia 3x4;
3.      Cópia do diploma de graduação (frente e verso) ou Certidão de Conclusão do Curso de Graduação reconhecido pelo MEC (para os cursos realizados no Brasil) ou Diploma de Conclusão de Curso de Graduação revalidado no Brasil (para os cursos realizados no exterior) ou, ainda, documento que comprove estar em condições de concluir o curso de graduação até a matrícula prévia no Programa (uma cópia legível);
4.      Histórico escolar do curso de graduação. Para candidatos que concluíram o curso após 2004, é obrigatório ter feito o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes - ENADE ou ter sido dispensado do mesmo.
5.      Curriculum Vitae (modelo Lattes), com a produção comprovada (digitalizada) do intervalo de 1º de janeiro de 2012 a 30 de setembro de 2015;
6.      Cópias do título de eleitor e comprovante de quitação eleitoral, do certificado de reservista (para homens), da carteira de identidade e do CPF (ou documento que traga o nº de ambos, como a Carteira Nacional de Habilitação, por exemplo), para candidatos(as) brasileiros(as), ou do passaporte, para candidatos(as) estrangeiros(as);
7.      Documentação comprobatória da condição de docente ou técnico-administrativo do quadro efetivo da UFCG, quando a inscrição se referir as três vagas especialmente destinadas a este público.
 
A documentação, digitalizada em pdf e em único arquivo, deverá ser enviada para o email da linha de pesquisa escolhida pelo candidato. Os e-mails são:
 
Linha I – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Linha II – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Linha III – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
 
Obs.: se até três dias após a inscrição não receber nenhum email de confirmação da chegada da documentação por parte do PPGH, o candidato deve entrar em contato com a coordenação através do email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou pelo telefone (83) 21011742.
 
No dia da realização da prova escrita, o candidato entregará, logo após o término da prova, três vias impressas da cópia do Projeto de pesquisa: Folha de rosto, Resumo, introdução, justificativa, objetivos, fundamentação teórico-metodológica, discussão das fontes e bibliografia, com no máximo 15 (quinze) páginas, digitadas em espaço 1,5, letra Arial, corpo 12, margens 2,5 cm; papel A4, tratando de temas ou problemas vinculados a uma das Linhas de Pesquisa do PPGH – UFCG. O projeto deverá ser elaborado conforme as orientações seguintes:
 
1 - Folha de Rosto/Título: na folha de rosto deve constar a identificação do CPF do candidato(a), o título do Projeto, a Linha de Pesquisa a que pretende se vincular e o nome de dois possíveis professores para orientação (Esta é apenas uma indicação do candidato e não precisa de carta de aceitação do referido professor). O título do projeto deve expressar, com clareza, a problemática da pesquisa e, se for o caso, delimitando-a do ponto de vista espacial e cronológico;
2 - Resumo: texto, com no máximo 15 linhas, informando sobre o tema, os objetivos, a fundamentação teórica e a metodologia;
3 - Objetivos geral e específicos - definir, com clareza, os propósitos da pesquisa;
4 – Introdução: Apresentação geral da temática.
5 - Justificativa: apresentar e explicar a relevância da problemática da pesquisa, que deverá estar de acordo com a área de concentração e com as temáticas da Linha de Pesquisa do Programa à qual o(a) candidato(a) deseja vincular-se;
6 - Fundamentação Teórico-metodológica: deve conter o debate historiográfico no qual se insere e a literatura pertinente ao recorte temático;
7 – Discussão das fontes: deve conter uma rápida apresentação das fontes a serem pesquisadas e dos arquivos de pesquisa.
8 - Referências (no máximo 2 páginas): listar, de acordo com as normas da ABNT, as obras citadas no projeto
(NÃO É PERMITIDA A IDENTIFICAÇÃO NOMINAL DO CANDIDATO NA FOLHA DE ROSTO NEM EM NENHUMA PARTE DO PROJETO DE PESQUISA.
 
As cópias dos projetos deverão ser entregues em um único envelope lacrado, devidamente identificado através de etiqueta (na forma do anexo I), que deverá ser afixada em uma das faces do envelope.
 
CALENDÁRIO DA SELEÇÃO
 
Publicação do Edital: 16 de outubro de 2015
Inscrição – 19 de outubro a 06 de novembro de 2015
Homologação das inscrições: 10 de novembro de 2015
Prova Escrita: 16 de novembro (Local: a definir. Horário: 08:00h às 12:00h)
Resultado da Prova Escrita: 23 de novembro de 2015
Leitura dos projetos pela Banca Examinadora: 24 a 28 de novembro (somente os projetos dos candidatos que foram aprovados na prova escrita 
Resultado dos Projetos – 30 de novembro de 2015
Entrevistas – 3 e 4 de dezembro de 2015
Resultado Final – 09 de dezembro de 2015.
Prazo para recursos: até 48h após a divulgação de cada um dos resultados.
 
ENDEREÇO DO PPGH
 
UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE Secretaria do PPGH Centro de Humanidades, Bloco Novo do CH, 1º Andar Cidade Universitária – Bodocongó Campina Grande - PB - Brasil CEP: 58.429-140 Fones/ Fax: (0-XX-83) 2101-1742; e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
 
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA PARA A PROVA ESCRITA
 
Linha 01
 
ARANHA, Gervácio Batista. Da história entre a retórica e a prova: por uma nova mimese renovada. In. Anais eletrônicos do XXVII Simpósio Nacional de História. Conhecimento e diálogo social. Natal-RN, 22 a 26 de julho, 2013 (P. 01-16).
 
BENJAMIN, Walter. Passagens. Belo Horizonte; São Paulo: EDUFMG/Imprensa Oficial, 2006 (P. 499-530).
 
ENGELS, Friedrich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010 (P. 67-116)
 
MARX, Karl & ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007 (P. 29-81).
 
MARINS, Paulo César Garcez. “Habitação e vizinhança: limites da privacidade no surgimento das metrópoles brasileiras” (P. 131-214 e 684-686). In: SEVCENKO, Nicolau (org.). História da vida privada no Brasil 3 – República: da belle époque à era do rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
 
MATTOS, Marcelo Badaró. As bases teóricas do revisionismo: o culturalismo e a historiografia brasileira contemporânea. In. MELO, Demian Bezerra (Org). A miséria da historiografia: uma crítica ao revisionismo contemporâneo. Rio de Janeiro: Consequência, 2014 (P. 67-98).
 
MELO, Demian Bezerra. O golpe de 1964 e meio século de controvérsias: o estado atual da questão. In. MELO, Demian Bezerra (Org). A miséria da historiografia: uma crítica ao revisionismo contemporâneo. Rio de Janeiro: Consequência, 2014 (P. 157-188)
 
ROJAS, Carlos Antonio Aguirre. Micro-história italiana: modo de uso. Londrina: EDUEL, 2012, (P. 147-183).
 
RAMOS, Keila Queiroz e Silva. Os corpos enrugados e meus outros espelhos etários. Tese de doutorado. Programa de pós-graduação em Sociologia. UFPB, 2008 (Introdução, Terceiro capítulo e Considerações finais). 
 
SOUZA JÚNIOR. Xisto S. S de. A Produção do espaço urbano de João Pessoa - PB: uma análise a partir das práticas socioterritoriais dos Movimentos Sociais Urbanos. Campina Grande: EDUFCG, 2012
 
Linha 02
 
BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de História. In: Obras Escolhidas: magia e técnica, arte e política. 7ª Ed. São Paulo: Brasiliense, 1994, p. 222-234.
 
CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: Editora UNESP, 1999.
 
CODATO, Adriano. O espaço político segundo Marx. Revista Crítica Marxista, n. 32, 2011.In:http://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/artigo232artigo2.pdf.
 
DANTAS, Beatriz G; SAMPAIO, José Augusto; CARVALHO, Maria do Rosário. Os povos indígenas no Nordeste brasileiro: um esboço histórico. In: CUNHA, Manuela Carneiro da. História dos índios no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 1998, p. 431-456.
 
MARX, Karl. O Dezoito Brumário de Louis Bonaparte. São Paulo: Centauro, 2006.
 
OLIVEIRA FILHO, João Pacheco de. Uma Etnologia dos “índios misturados”? Situação colonial, territorialização e fluxos culturais. In: OLIVEIRA, João Pacheco de. (Org.). A viagem de volta: etnicidade, política e reelaboração cultural no Nordeste indígena. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2004, p. 13-38.
 
Linha 03
 
ARAÚJO, Eronides. As alianças entre a pedagogia de gênero pelo amor ao lar e pela preservação da virgindade. In: SILVA, Antônio de Pádua Dias da. (org.) Escrit@s sobre gênero e sexualidades. São Paulo: SCORTECCI, 2015, p. 107-118.
 
BRUNO, Fernanda. Máquinas de ver, modos de ser: vigilância, tecnologia e subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2013, p. 7-16; 53-122.
 
CHARTIER, Roger. Leituras e leitores na França do Antigo Regime. São Paulo: UNESP, 2004, p. 21-44; 235-260.
 
DÁVILA, Jerry. Diploma de Brancura. Política social racial no Brasil – 1917-1945. São Paulo: UNESP,2006, p. 17-93.
 
FARGE, Arlette. Lugares para a história. Belo Horizonte: Autêntica, 2011, p. 71-83.
 
FAULHABER, Priscila. Uma leitura da história do autor e da autoria. In: FAULHABER, Priscila; LOPES, José Sérgio (orgs.) Autoria e história cultural da ciência. Roger Chartier. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2012, p. 25-35.
 
LOURO, Guacira Lopes. O cinema como pedagogia. In: LOPES, Eliane Marta; FARIA FILHO, Luciano Mendes & VEIGA, Cynthia Greive (orgs.). 500 anos de educação no Brasil. 2ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 423-446.
 
OLIVEIRA, Marcus Taborda (org.) Sentidos e Sensibilidades: sua educação na história. Curitiba: UFPR, 2014, p. 7-20; 29-57; 149-163.
 
Obs. Cópia de alguns dos textos foi disponibilizada em pasta da seleção 2016 nas copiadoras de Júnior (83-98730-1271) e Genilda (83-33332513; 98650-8565 – Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.), no campus da UFCG – Campina Grande.
 
Campina Grande-PB, 09 de outubro de 2015
 
 
Iranilson Buriti de Oliveira
Coordenador do Programa de Pós-Graduação em História
Universidade Federal de Campina Grande
Mat. 1298989

 

 

 
 
Powered by Phoca Download